quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Os lares doces lares da viagem

Quando eu falo que a Alemanha tem uma infraestrutura maravilhosa para se viajar de bicicleta eu não falo apenas das ciclovias, das paisagens maravilhosas que só é possível conhecer a pé ou a bordo de uma bicicleta... mas eu falo também da qualidade das informações, inclusive para hospedagem.

Tá certo que passamos por um perrengue para achar um lugar para dormir na primeira noite. Mas nos dias seguintes foi tudo incrível. Não houve nenhum lugar que não tenhamos penado para achar um "zimmer frei" (cama livre). Muitos lugares fechados ou lotados. Mas em todos os lugares achamos pensões, bed and breakfast's ou hotéis muito aconchegantes, daqueles que dão vontade de ficar um dia a mais.

Nas livrarias de Berlim é muito fácil achar os guias das centenas de rotas para cicloturismo, com mapas, dicas de lugares para visitar e dormir - tudo em alemão, claro! Mas dá pra se virar muito bem com estes guias sem entender o idioma. Comprei o guia da nossa rota. Ajudou muito, pois nem sempre foi fácil achar as placas indicando a nossa rota pelo caminho. Varia conforme a região. Mas o bom é que nesse guia também há indicação de lugares para dormir, com opções para todos os gostos e bolsos em um programa denominado Bett und Bike ou Bed and Bike ou, simplesmente, Cama e Bicicleta!

E de pedaladas em pedaladas, campainhas em campainhas, achamos lugarzinhos super aconchegantes. Alguns com café da manhã, outros não... mas todos muito especiais e sempre com lugares seguros para guardarmos as nossas magrelas. Na Alemanha, inclusive, a preços muito simpáticos. A hospedagem mais cara custou 45 Euros para o casal. E foi num hotel delicioso, em uma antiga fábrica de alguma coisa onde hoje funciona um cinema, um restaurante delicioso e um hotel! Na Dinamarca os preços já ficam mais salgados, mas não podemos reclamar. Apesar de mais caros, na manhã seguinte sempre pegávamos a estrada felizes e descansados. Uma coisa primordial para o sucesso de uma cicloviagem!


Essa foi a casinha que ficamos em Fursthenberg/Havel, no segundo dia da viagem. Ficava no quintal da casa de uma senhorinha muito engraçada e que conseguia se comunicar conosco de um jeito perfeito! O quintal ainda era regado a macieiras e era cortado por um riozinho.
Manhã em Neustrelitz. Eu me alongando após uma noite muito gostosa no único hotel em que nos hospedamos na viagem
O quintal muito fofo da pensão mais aconchegante da viagem, em Waren/Muritz. Aqui ficamos em uma pensão chiquérrima. Era um mini apartamento hiper equipado e tudo muito lindo e arrumado. Nessa cidade as hospedagens eram caríssimas, pois é uma cidadezinha turística dentro do Parque Nacional de Muritz, cortada por um lago gigantesco que mais parece um mar e as pessoas vão para pescar e passear de barco, lanchas, etc e tal. Mas depois de procurarmos muito, achamos este lugar lindo. Os donos nos cobraram um preço simbólico de 40 Euros (pois devia valer muito mais) e entendemos - em alemão - que eles disseram que gostavam muito de ciclistas e por isso nos fariam um preço especial. No dia seguinte saímos muito cedo, mesmo assim tinha café da manhã nos esperando! Na hora de pagarmos pelo café - que não era incluso na diária - eles falaram que era presente, não precisávamos pagar nada! Toda essa mordomia graças às bicicletas!

Primeira noite na Dinamarca, em Sttubkobing, onde alugamos uma casa. Sim... uma casa alugada com o dono de um boteco muito animado - onde rolava um tornei barulhento de sinuca. Nesse dia deu até para fazer janta! Ah, chegamos no dono dessa casa graças a uns pescadores bebados muito engraçados que conhecemos na entrada da cidade. Eles nos deram cerveja dinamarquesa, bateram papo, contaram histórias divertidíssimas e ainda queriam que dormíssemos "na faixa" em um quartinho bagunçado no "QG" dos pescadores! Só não aceitamos porque estávamos muito cansados, queríamos tomar banho e dormir em uma cama de verdade! Mas ficou o contato e a amizade com os pescadores divertidos!

Na penúltima noite da viagem, dormimos nesse Bed and Breakfast em Faxe Ladeplads. Um casal de senhores muito fofo que nos hospedou e nos tratou como se fossemos filhos deles. A casa, chamada de "Casa Betula" ficava a uma quadra da praia e deu até para vermos o por do sol lá.


Quem quiser saber mais do Bett und Bike pode acessar o site do programa aqui.


4 comentários:

  1. Legal essa aventura Evelyn. Estou acompanhando. Um dia faremos, eu e minha mulher, esta viagem.
    Abs!

    ResponderExcluir
  2. Oi Evelyn!!! Aqui é a teacher Bianca (Objetivo). Lembra de mim? Lembra das nossas danças? Às vezes converso com sua mãe sobre você. Parabéns por todo o caminho que você vem traçando em sua vida. Um beijão! Bianca

    ResponderExcluir



  3. This is absolutely an break for the Louis Vuitton Handbag to accomplish their Singapore entrance. Besides featuring an Valentino handbags all-encompassing ambit of products, the abundance will aswell affection the Spike Wall.Swiss Movement Rolex allotment broken with gold metal spikes,Admittedly, when most people look at the? Rolex Replica Watch, the last thing in their mind may be the movement.The
    Datejust Replica Watch is just like every day, all the way back to 1956 (you will see.

    ResponderExcluir
  4. ***PUBLIC SERVICE ANNOUNCEMENT - IMPORTANT ALERT***


    VERY IMPORTANT INFORMATION FOR ALL IN CANADA AND THE U.S.A. AND MEXICO....

    PORTUGAL IS THE BIGGEST, RACIST, ANTI-SPANISH COUNTRY ON THE PLANET!

    I HEREBY ALERT ALL PEOPLE ON EARTH TO NOT BUY FROM PUTUGAL, DO NOT SPEND YOUR HARD, EARNED MONEY GOING THERE AND BOYCOTT ALL PORTUGEE STORES IN YOUR AREA! DON'T BUY THEIR GOODS OR WINES!!!

    THESE XENOPHOBIC RACISTS HAVE TO LEARN AND THE BEST WAY IS TO BLOCK THEM ECONOMICALLY!

    BE CAREFUL FRIENDS!

    ResponderExcluir